O Mosteiro de São Nicolau dos Gatos

O Mosteiro de São Nicolau dos gatos é considerado como um paraíso do gato sagrado em Chipre, como o próprio nome diz, ele tem sido associado aos felinos por quase 2000 anos.
O monastério original foi construído em 327 dC, por Kalokeros, o primeiro governador bizantino de Chipre, e patrocinado por Santa Helena, a mãe de Alexandre, o Grande. Naquela época, uma terrível seca afetou toda a Cyprus, e toda a ilha foi invadida por cobras venenosas, o que tornou a construção do mosteiro, algo perigoso. Muitos dos habitantes deixaram suas casas e mudaram-se da ilha, por medo das cobras, mas Santa Helena apareceu com uma solução para a praga – ela ordenou que 1.000 gatos fossem enviados pelo Egito e Palestina para combater os répteis.
Nos anos seguintes, os gatos fizeram o seu dever, caçando e matando a maioria das cobras na Península Akrotiri, que logo veio a ser conhecida como o “Peninsula Gato”. Os monges usavam um sino para chamar os gatos ao mosteiro na hora da refeição, e, em seguida, os felinos eram despachados para as suas funções de caçadores de cobras. Peregrinos de toda a Europa, viajaram para o Mosteiro de São Nicolau para ver os guardiões felinos, e os documentos descobertos de um monge veneziano descrevia muitos gatos com cicatrizes, falta de várias partes do corpo, alguns completamente cegos como resultado da incansável batalha contra as cobras.
De acordo com os escritos do Padre Estevão de Lusignan, em 1580, os monges bizantinos no Mosteiro de São Nicolau receberam as terras ao redor, com uma condição – eles tinham que cuidar de, no mínimo, 100 gatos e alimentá-los, pelo menos, duas vezes por dia. A lenda diz que os gatos eram tão bem treinados que eles sabiam que quando a campainha tocava uma vez, tinham que ir à caça de cobras, e quando tocava uma segunda vez, era hora das refeições no mosteiro.
Durante a invasão turca, o Mosteiro de São Nicolau dos gatos foi completamente destruído e seus monges residentes abatidos ou levados para o cativeiro. Sem comida e sem abrigo, os gatos andavam ao redor da ilha, o que explica o grande número de gatos que vivem atualmente no Chipre. Mesmo agora, os moradores apreciam a sua ajuda para se livrar das cobras, como séculos atrás, e cuidam bem deles. 
Depois de ser reconstruído e abandonado por diversas vezes, a história moderna do Mosteiro de São Nicolau dos gatos começou em 1983, atribuída a um grupo de freiras. Quando chegaram lá, não havia gatos, mas o número de serpentes era mais uma vez impressionante, assim elas fizeram exatamente o que Santa Helena fez mais de 1.500 anos atrás – elas trouxeram um casal de gatos. O seu número cresceu, ao longo dos anos, e há agora seis monjas no mosteiro e mais de 70 felinos. Muitas pessoas trazem gatos abandonados a este lugar.
O Mosteiro de São Nicolau dos Gatos recebe um pequeno subsídio do governo, mas isso não é suficiente para cuidar de toda população felina, então as freiras dependem de doações feitas por moradores ou turistas que amam os gatos.

Diário Insano

~ por clauporto em 6 de maio de 2011.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: